O presidente interino do Mali, Dioncounda Traoré, espera que possa haver eleições até o fim de julho. O último bastião de rebeldes islâmicos no país era Kidal. Mas a cidade, perto da fronteira com a Argélia, já foi reconquistada.