O ex-diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional Dominque Strauss-Kahn e a camareira que o acusou de abuso sexual chegaram a um acordo sobre a ação civil movida pela empregada de um hotel de Manhattan. A informação foi publicada pelo jornal The New York Times nesta sexta-feira (30). Segundo o periódico francês Le Monde, teria havido um acerto no valor de US$ 6 milhões.